o cão constante

Sem título número dois

with one comment

Nunca me aborreço de pisar os antros onde a canalha das artes se bamboleia freneticamente ao som dos charros e das cervejas entornadas sobre a alcatifa pastosa que calco enquanto procuro a foda da noite. Não sendo eu uma mulher desinteressante, aliás, sendo eu mulher, é sensato concluir que a incumbência não é uma quimera. Basta apenas que o escolhido não esteja assim tão bêbedo que não consiga ficar duro para foder e que das entranhas liberte mais do que a baba e o hálito nauseabundo que até tenho prazer em sorver. É nojento mas sabe-me a promiscuidade. Sabe-me a homem sujo como deve ser todo o homem que descura a higiene mas privilegia o trato do intelecto. Só quero foder como o davis fodia com o trompete, só quero foder como o saramago fodeu a igreja, só quero foder como o joão césar fodeu a branca de neve. I haven’t fucked much with the past, but i’ve fucked plenty with the future, declama a smith bem ao meu gosto. E eu só quero que me deixem foder tudo como todos eles foderam os cânones instalados.

Anúncios

Written by Luís Miguel Martins

Quarta-feira, 20 Outubro, 2010 às 01:40

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. ui! que a Patti anda mesmo a dar-te a volta ao miolo!

    Lu

    Quinta-feira, 21 Outubro, 2010 at 17:21


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: